Limpe sua casa com produtos caseiros!

Limpe sua casa com apenas água, sal, vinagre branco, limão e bicarbonato de sódio

A limpeza de sua casa também pode ser sustentável, basta utilizar produtos caseiros no qual tem muita eficiência para a limpeza da casa. Portanto separamos uma “receitinha” básica para a limpeza em geral. Veja abaixo e experimente e veja os resultados!

4 colheres de bicarbonato de sódio

1 pitada de sal

4 colheres de vinagre branco

4 gotas de limão

1 litro de água

Misture tudo e  coloque no borrifador.

Desta forma você vai reduzir o grande impacto que gera os produtos químicos que usamos.

Impacto dos produtos de limpeza

Ao contrário do que a maioria acredita, a espuma criada pelos produtos de limpeza não indica a eficiência ou a qualidade do produto. Trata-se somente de um fator psicológico, difundido entre a população. O efeito e o impacto gerado são altíssimos, o que pode ser visto sempre em Pirapora do Bom Jesus- SP a 54km da capital, onde passa o rio Tiête e criase regularmente uma imensa espuma, gerado pela grande quantidade de detergente, sabão em pó e amaciantes.

Espuma gerada pela cidade de São Paulo com o uso industrial e domésticos de produto de limpeza

O oxigênio da água é insuficiente para destruir a as bactérias que permancem ativas, despejando assim a espuma sobre a cidade, no qual gera grande prejuízo e sujeira nas casas, carros, e queimando a vegetação costeira.

Usar o bicarbonato de sódio pode ser uma alternativa na limpeza da casa. Além de ser barato e multiuso, é um produto substituto de produtos de limpeza tóxicos. Como é uma substância levemente alcalina, é pouco tóxico e forma uma espécie de detergente em contato com a gordura.

Veja outras dicas de limpeza:

1. Remoção de odores da geladeira ou freezer: utilize uma colher de sopa de bicarbonato de sódio para meio litro de água morna. Utilizando um pano, limpe as paredes e prateleiras. Em geladeiras sem frost-free, espere o desgelo para fazer a limpeza. Depois, passe outro pano para secar. O mesmo processo pode ser feito com embalagens de plástico.

2. Limpeza da garrafa térmica: a parte interna das garrafas térmicas podem ser limpas com uma solução de água quente e bicarbonato de sódio. O processo retira resíduos dos líquidos armazenados na garrafa. Enxágue bem depois do processo.

3. Aço Inox: use bicarbonato de sódio dissolvido em água para limpeza e brilho em utensílios de aço inox.

4. Retirar alimentos queimados de panelas: salpique bicarbonato de sódio e umedeça e região. A reação do bicarbonato e a gordura do alimento fará com que a sujeira solte com mais facilidade. Em casos graves, complete a panela com água e coloque para ferver com duas colheres de sopa de bicarbonato.

5. Carpetes: para retirar o mau cheiro de carpetes e tapetes, basta pulverizar bicarbonato e aspirar em seguida.

6. Desentupir cano de pias: jogue dentro do ralo de duas a quatro colheres de sopa, derramando em seguida meia xícara de vinagre.

7. Retirar mofo: utilize solução de água e bicarbonato para limpar superfícies mofadas. Quanto mais frágil for a superfície, utilize menos bicarbonato na mistura.

8. Lavar roupa: adicione uma colher de sopa de bicarbonato de sódio com o sabão em pó na hora de lavar roupas brancas. O produto ajuda a tirar as manchas.

9. Latas de lixo: para retirar a sujeira de latas de lixo, basta deixar a solução de água com bicarbonato por alguns minutos.

10. Limpeza de esponjas e panos de limpeza: deixe panos de limpeza e esponjas mergulhados em solução de água com bicarbonato de sódio durante a noite.

Quer seja para economizar, para preservar a saúde de sua família ou para ajudar na preservação do meio ambiente opte por produtos naturais na hora da faxina. Você não só estará mantendo sua casa ou empresa longe de produtos químicos como sendo atual, moderna e engajada.

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=e4uAwmNAjr4&feature=player_embedded%5D

Fonte: Projeto Casa Container

Use EcoBags

Use Pense ECO!

Visite o novo site da www.penseeco.com

Compre já sua sacola na Pense ECO! Store www.penseeco.com/store

Anúncios

Ambientalistas colocam barco de tetra pak em canal alemão

Grupo carrega barco feito com embalagens tetra pak para colocá-lo no canal de Karl-Heine, na cidade de Leipzig

Um barco com nove metros de comprimento, fabricado com embalagens do tipo tetra pak, flutuou nesta segunda-feira pelo canal de Karl-Heine, na cidade alemã de Leipzig.

O artista conceitual Frank Boelter, que idealizou o embarcação, disse que as embalagens simbolizam o fim da Era Industrial e, ao mesmo tempo, criticam a mentalidade do desperdício.

Segundo os organizadores do evento, o ato serve para pedir pelo retorno da topografia fluvial original em regiões urbanas.

Artista conceitual Frank Boelter flutua com seu barco produzido com material reciclável em canal alemão

 

Fonte: Folha

Use EcoBags

Use Pense ECO!

Visite o novo site da www.penseeco.com

Compre já sua sacola na Pense ECO! Store www.penseeco.com/store

Alemanha vai abandonar energia nuclear até 2022

Chanceler alemã, Angela Merkel; país pretende deixar de usar energia nuclear até 2022; acidente no Japão causou debate.

Enquanto o governo brasileiro quer aumentar o número de usinas nucleares no país (contrução da usina de Angra 3), a chanceler Alemã Angela Merkel vai abandonar a energia nuclear até 2022.

O compromisso de desligar todas as 17 usinas do país foi assumido na madrugada desta segunda-feira pela coalizão de governo da chanceler Angela Merkel. Cumprido, o cronograma fará da Alemanha a primeira potência a abrir mão de uma infraestrutura montada para geração de energia nuclear.

Conforme o anúncio, as oito centrais nucleares que foram fechadas provisoriamente após o acidente de Fukushima, no Japão, jamais voltarão a abastecer a rede elétrica. Até 2021, a maioria das demais usinas será desligada, e três delas, as mais modernas do país, serão fechadas até o ano seguinte.

No sábado, 30/05/2011 cerca de 160 mil pessoas saíram às ruas em 21 cidades alemãs

Segundo o ministro do

Meio Ambiente alemão, Nobert Röttgen, estas três usinas mais modernas devem ser vistas como reserva de segurança, em caso de escassez energética, e seu fechamento em 2021 ou 2022 será decidido somente em 2018.

Com a decisão, tomada na esteira da crise nuclear do Japão, o governo alemão recua da lei aprovada no ano passado que prolongou a vida das usinas nucleares em um média de 14 anos, estabelecendo 2036 como prazo para o fechamento da última central – e revalida decisão tomada em 2000 pela coalizão do então chanceler Gerhard Schröeder, que previa o abandono da energia nuclear em 2021.

Veja o vídeo do Greenpeace sobre a energia nuclear!

Fonte: Veja, Com agência Reuters e France-Presse

Use EcoBags

Use Pense ECO!

Visite o novo site da www.penseeco.com

Compre já sua sacola na Pense ECO! Store www.penseeco.com/store

Hotel é contruído com lixo de praia

Save the Beach Hotel

Foi inaugurado em Roma o Save the Beach Hotel, o primeiro hotel feito totalmene por 12 toneladas de lixo, todos retirados da praia romana de Capocotta. O responsável pela obra foi o design alemão H.A. Schult.

O hotel foi aberto ao público e já recebeu apoio de celebridades, como a ex-modelo dinamarquesa Helena Christensen, que concordaram em passar uma noite no hotel.

A Iniciativa faz parte do projeto Save the Beach. Veja as imagens e o vídeo da montagem do hotel.

Um site traz informações do projeto e permite que pessoas de todo o mundo se ofereçam para ficar no hotel, ou mesmo opinem sobre a campanha.

A ideia é fazer com que as pessoas deixem as praias da Europa mais limpas, caso contrário, é no meio do lixo que elas ficarão hospedadas num futuro não muito distante.

E você, se hospedaria em um hotel feito de lixo? Comente!

Fonte: G1

Use EcoBags

Use Pense ECO!

www.penseeco.com

Nova Camisa da Seleção para a Copa do Mundo 2010

A nova camisa amarela 1 da seleção brasileira tem pequenos detalhes em verde nos ombros, com cinco estrelas no fim.

No dia 25 de fevereiro de 2010 foi lançado a nova camisa da seleção brasileira. A Nike empresa que fornece os materiais esportivos da nossa seleção apresentou em Londres na Inglaterra, o modelo 2010 da camisa brasileira. Com um design simples e praticamente toda em amarelo, a camisa dos brasileiros na Copa do Mundo de 2010 possui novidades invisíveis aos olhos.

De acordo com a fabricante, a camisa é construída com 100% de materiais recicláveis: oito garrafas plásticas foram utilizadas na confecção de cada peça. Foram recolhidas garrafas em lixões, que após serem processadas e transformadas em poliéster, confeccionaram as camisetas das dez seleções patrocinadas pela Nike.

As garrafas são lavadas para remoção de impurezas e cortadas em pequenos flocos, que então são derretidos para se transformarem em fios bem finos. É a partir desses fios que se forma o poliéster que compõe o tecido.

Mais uma das novidades da camisa da seleção é que, ela não tem costura e sim cola substituindo as costuras a fio, tecnologia semelhante a usada na Fórmula 1, essa medida foi feita pra reduzir o peso, deixando-a com 160 gramas, segundo a Nike 15% menos do que a camisa utilizada na copa de 2006.

Outra novidade é seu ajuste dinâmico, que “adapta” a camisa às curvas do corpo do atleta que a veste. Além disso, o uniforme é estruturado em malha dupla. O resultado disso é mais mobilidade para o jogador, bem como 10% a mais de elasticidade se comparada com uniformes tradicionais.

Lançamento da camisa com Alexandre Pato

Outra novidade anunciada é que as camisas oficiais, que eram desenvolvidas exclusivamente para os jogadores, também passam a ser vendidas em lojas.

São necessárias até oito garrafas para produzir uma camisa e, segundo a Nike, o processo de fabricação diminui em até 30% o consumo de energia se comparado ao uso de poliéster novo.

Fonte: TechEnd Brasil, Baixaki

Use EcoBags

Use Pense ECO!

www.penseeco.com

Uso de sacolas plásticas caiu 20% nos últimos três anos

Segundo o INP (Instituto Nacional do Plástico), a campanha para uso consciente de sacolas plásticas reduziu o volume de unidades usadas em 20% nos últimos três anos. Cinco capitais (São Paulo, Porto Alegre, Salvador, Goiânia e Brasília) já fazem parte do programa.

“Em São Paulo, onde começamos o programa, um mês após a implantação, as redes de supermercados que aceitaram se engajar tiveram redução de 12% no consumo das sacolas. O Carrefour, por exemplo, gostou tanto da iniciativa que pediu o treinamento para todas as suas lojas na capital paulista e alcançou 40% de redução do uso das sacolinhas”, conta o diretor superintendente do INP, Paulo Dacolina.

No ano que vem, entra em vigor a lei 9.523/08 que determina que sacolas plásticas seja substituídas por outros materiais.

Essa é uma grande oportunidade de empresas investirem em ações que ajudem a diminuição do uso das sacolinhas plásticas. Como a utilização das sacolas de pano, ecobag ou sacolas ecológicas

Fonte: O empreededor

Use Sacolas Ecológicas, use Pense ECO!

www.penseeco.com

Plásticos são maior parte do lixo no mar, diz ONU

Os animais morrem, as embarcações são danificadas e muitas cidades costeiras, que (sobre)vivem do turismo, perdem dinheiro.

Os animais morrem, as embarcações são danificadas e muitas cidades costeiras, que (sobre)vivem do turismo, perdem dinheiro.

Todos os anos o mundo produz cerca de 60 bilhões de toneladas de plástico. E grande parte dele – em forma de garrafas, sacos, embalagens de comida, copos e talheres – acaba nos oceanos. Segundo um relatório do Programa Ambiental da ONU (Unep, na sigla em inglês) publicado na primeira quinzena de junho, e que marcou o Dia Mundial dos Oceanos (9/6), em algumas regiões esses produtos correspondem a 80% do lixo encontrado no mar.

Segundo a ONU, não há um número exato da quantidade de lixo boiando nos mares, porque os dados coletados são mais precisos em algumas regiões e menos precisos em outras, mas a Unep afirma que as evidências são de que a quantidade de lixo está aumentando.

“O lixo marinho é sintomático de um problema maior: o desperdício e a persistente má administração dos recursos naturais. Os sacos plásticos, as garrafas e outros lixos se acumulando nos oceanos e mares poderiam ser reduzidos drasticamente por uma política de redução de lixo, administração e iniciativas de reciclagem”, diz Achim Steiner, sub-secretário geral da ONU e diretor-executivo da Unep. “Parte desse lixo, como os sacos plásticos finos que só podem ser usados uma vez e sufocam a vida marinha, deveriam ser rapidamente tirados de circulação”, continua.

Plástico
Os compostos tóxicos do plástico podem ser encontrados nos organismos que o consomem, diz o relatório, afirmando que o produto pode ser confundido com comida por vários animais, inclusive mamíferos marítimos, pássaros, peixes e tartarugas. As tartarugas-marinhas, em particular, podem confundir sacolas plásticas boiando com águas-vivas, um de seus alimentos favoritos.

Uma pesquisa de cinco anos com fulmaros glaciais – pássaros encontrados na região do Mar do Norte – concluiu que 95% dessas aves têm alguma porcentagem de plástico no estômago.

Segundo o relatório, além de produtos plásticos, pontas e maços vazios de cigarro e de charuto estão entre os produtos mais encontrados nos oceanos, correspondendo a 40% do lixo encontrado no Mar Mediterrâneo.

O turismo também têm impacto significativo sobre o estado dos oceanos e das costas em todo o mundo. Em algumas áreas do Mediterrâneo, mais de 75% do lixo são produzidos durante a temporada de verão, com forte presença de turistas. Atividades costeiras correspondem a 58% do lixo encontrado no Mar Báltico e quase metade do lixo encontrado no mar na região do Japão e da Coreia do Sul.

O relatório ainda conclui que a maior parte do lixo marinho vem de atividades baseadas em terra firme. Segundo o Unep, o problema do lixo marinho é particularmente grave na região dos mares do sudeste asiático – onde vivem 1,8 bilhão de pessoas, 60% delas nas áreas costeiras.
plastico-no-mar-2
Prejuízo
A ONU também atribui o aumento da poluição ao crescimento econômico e urbano, além das atividades marítimas. Sem contar os problemas de saúde para a vida marítima, o lixo nos mares também provoca prejuízos econômicos, afirma o documento, com barcos e equipamentos de pesca danificados e contaminação de instalações para turismo e agricultura.

O custo de limpeza das praias de Bohuslan, na costa oeste da Suécia, foi de pelo menos U$S 1,5 milhão em apenas um ano. No Peru, a cidade de Ventanillas calculou que teria de investir cerca de US$ 400 mil por ano para limpar sua costa – o dobro do orçamento para a limpeza de todas as áreas públicas. Como são cidades pequenas, com receita anual baixa e que dependem de turismo, esses gastos com limpeza tiram dinheiro de uma série de outros setores da economia local.

Fontes: Estação Online, Ambiente Brasil, Unep e Terra

%d blogueiros gostam disto: