Conheça 8 soluções para uma cidade mais ecológica

Large Cities Climate Leadership Group

Está acontecendo do dia 31 de maio a 30 de junho na cidade de São Paulo, o C40 (Rede C40 – Large Cities Climate Leadership Group), evento que reuni prefeitos e líderes das principais metrópoles do planeta para trocar experiências e debater ações de combate e adaptação às mudanças climáticas que podem ser adotadas pelos governos locais.

Veja uma seleção de 8 soluções usadas nestas metrópoles para soluções de problemas como o trânsito, alta emissão de carbono, geração de energia e outros.

1.Bicicletas

Tráfego de biciletas na cidade de Compenhague

A bicicleta obteve muito destaque no evento para a solução do transporte e muito sitado por Frank Jensen, prefeito de Copenhague. Ele mesmo diz ir ao trabalho todo os dias com a sua bike. Incentivo ao uso da bicicleta no dia a dia para combater as emissões dos automóveis também é realizado com sucesso em Bogotá, na Colômbia, Barcelona, na Espanha, e em Paris, na França. O aluguel de bicicletas na França opera 24 horas por dia, 7 dias por semana

2. Aluguel de carros elétricos

Site do Autolib http://www.autolib.fr

A vice-prefeita de Paris, Anne Hidalgo, anunciou para outubro de 2011 uma proposta antiga, a de alugar carros elétricos . Serão três mil automóveis que poderão ser alugados em 1.000 estações por toda a cidade. Os carros funcionam a bateria. O programa, apelidado Autolib , é semelhante ao bem sucedido programa de aluguel de bicicletas Velib lançado em 2007. E o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, assinou um acordo com montadoras para viabilizar a circulação destes carros na cidade. Eletropaulo, Britaldo Soares, para estudar a implementação de carros elétricos no município.

3. Ônibus a gás e energia eólica

Outro modelo destacado no encontro de prefeitos foi o de Los Angeles, nos EUA. Além de incentivar o uso e produção de carros elétricos, a cidade possui 2300 ônibus movidos a gás natural e tem faixas exclusivas para carros com mais de uma pessoa. A medida adotada ocasionalmente em São Paulo, deve se tornar permanente nas próximas semanas, segundo o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que ainda afirmou que estuda como tornar a ciclovia funcional também durante os dias da semana. Em Los Angeles (foto), é possível pagar cerca de 2 dólar a mais para receber energia de fonte renovável, como a eólica.

4. Pedágio urbano

O valor do pedágio é de 8 libras, caso não pague a multa é de 50 libras.

O pedágio urbano, que causa bastante polêmica, foi apontado na C40 como solução para combater o aquecimento global e as emissões de gases do efeito estufa. Londres, Estocolmo e Tóquio já aderiram. A ideia taxar a circulação de veículos em áreas da cidade. Londres (foto) introduziu em 2003 o que chama de London congestion charge (por isso a letra C escrita no chão) que cobra para que veículos entrem no centro da cidade.

5. Rodízio de carro, enegia limpas

São produzidos 20 mega watts por hora a partir da utilização dos gases de aterro sanitário Bandeirantes.

São Paulo foi escolhida para abrigar o encontro que ocorre a cada 2 anos. Os programas que a cidade de São Paulo está comprometida são o rodízio, o programa Cidade Limpa, a reciclagem de lixo e a ciclovia são apontados como iniciativas verdes da cidade, mas os aterros de São João e Bandeirantes (foto) são o principal destaque. Em locais dos aterros, a prefeitura capta o gás que sai dos resíduos (normalmente dióxido de carbono e metano, dois dos principais gases causadores do efeito estufa) e o transforma em energia. Como também evita o envio de gases para o ambiente, é possível receber créditos de carbono. O dinheiro recebido foi aplicado nas regiões próximas aos aterros.

6. Taxi elétricos

Táxis que não poluem são uma das soluções encontradas em Seul (foto) e Estocolmo. Seul, na Coreia do Sul, ainda possui o “dia sem Carro”. Quem deixa o carro em casa recebe estacionamento grátis e descontos em impostos. A medida reduziu a emissão de gases do efeito estufa em 10% em um ano.

7.Semáforo de LED

Vem de Chicago (foto) o exemplo de usar luzes LED em semáforos da cidade. A luz economizou energia em 85% ao ano. A mesma medida já é usada por Belo Horizonte e outras cidades do Brasil.

8. Metrô

O Metrô de Nova Iorque é o maior sistema de transporte público do mundo, tanto em número de estações quanto em comprimento de pista.

O ótimo sistema de transporte público de Nova York é um dos principais pilares da proteção do meio ambiente. O prefeito da cidade, Michael Bloomberg, disse que usa o metrô para se locomover. Além disso, a cidade possui diversos parques. O sistema de metrô de Nova Iorque possui 368 km de extensão, 468 estações e 1,4 bilhões de pessoas utilizam o metrô anualmente. Apenas para comparação o sistemas de metrô de São Paulo possui 70,6km de extensão, 62 estações e 845,6 milhões de pessoas utilizam o metrô anualmente.

 

Fonte: Uol

Use EcoBags

Use Pense ECO!

Visite o novo site da www.penseeco.com

Compre já sua sacola na Pense ECO! Store www.penseeco.com/store

 

Anúncios

Dia mundial sem carro

Hoje, 22 de setembro, é o dia mundial sem carro! Para isso, vamos dar uma dica, São Paulo já existe bicicletas para aluguel. A iniciativa começou com o Instituto Parada Vital.

As estações que ganharam novos bicicletários são Santana e Liberdade, na Linha 1 (Azul), Vila Madalena, na Linha 2 (Verde) e Brás, Barra Funda e Santa Cecília, na Linha 3 (Vermelha). O bicicletário da estação Armênia, Linha 1 (Azul), no entanto, nao foi inaugurada.

Com as oito estações que já disponibilizam o serviço, São Paulo passa a ter disponíveis 187 bicicletas para o aluguel e 683 vagas para estacioná-las na rede Estapar.

Bicicletário em São Paulo

Como funciona
A primeira hora de uso é gratuita. A partir da segunda, são cobrados R$ 2 por hora adicional. Quando retira a bicicleta, o ciclista recebe também um capacete e um cadeado. Todos os equipamentos podem ser devolvidos em qualquer bicicletário do sistema.

Segundo o Instituto Parada Vital, responsável pela gestão dos bicicletários, 3.308 empréstimos foram realizados entre o início do projeto, em 27 de setembro de 2008, e o dia 20 de janeiro.

Cadastro
O usuário precisa deixar uma garantia de pagamento para usar o equipamento. Caso opte pelo cartão de crédito, ele deve comparecer a um dos bicicletários com RG e CPF. O cartão deve ter um limite disponível de R$ 350 – que não é cobrado durante o uso.

Quem não possui cartão de crédito ou não quiser utilizá-lo pode fazer uma carteirinha para utilizar o sistema na sede do Instituto Parada Vital, na Barra Funda, na Zona Oeste de São Paulo.

É preciso apresentar RG, CPF, comprovante de residência e duas fotos 3×4. O cadastro é aprovado em três dias úteis, e o usuário deve pagar um boleto bancário de R$ 50 (R$ 25 de taxa de cadastro e R$ 25 em créditos a serem utilizados com as bicicletas). Posteriormente, poderão ser feitas novas recargas.

O serviço pode ser utilizado entre 6h e 22h, de segunda a domingo. Na estação Paraíso, o bicicletário funciona até as 20h, de segunda a sexta-feira, e até as 22h, aos fins de semana. No estacionamento Estapar do Shopping Frei Caneca, o funcionamento é das 10h às 22h todos os dias.

São Paulo ainda tem muito que melhor em relação às alternativas de transporte, mas já é uma iniciativa que temos que apoiar para que continue e cresça cada vez mais!

Para mais informações entre no site do Instituto Parada Vital www.paradavital.org.br

Veja o vídeo sobre os bicicletários em São Paulo.

Fonte: Conut, Instituto Parada Vital

Use EcoBags

Use Pense ECO!

www.penseeco.com

Vauban, a Cidade do Futuro

Tem cidade que radicalizou na idéia de “um dia sem carros” e está na missão de transformar a cidade inteira em uma cidade livre dos carros.

O bairro Vauban de pouco mais de 5.500 habitantes da cidade de Freiburg localizada no sul da Alemanha, está se transformando em um bairro praticamente sem carros.

O bairro que começou a ser construído em meados da década de 90, passou a ser habitado a partir do ano 2000 e tem todas as casas construídas com técnicas especiais para ter um baixo consumo de energia.
Os apartamentos reduzem o custo energético devido a uma boa isolação térmica, boas janelas, sistema de ventilação, aquecimento dos apartamentos centralizado no prédio, reciclagem de dejetos transformada em energia com um reator de biogás, aquecimento solar e tratamento de água. E com um custo apenas 7% maior do que as construções convencionais.

Mas onde estão os carros? Os estacionamentos, as calçadas e as garagens não possuem nenhum carro nesse bairro, eles são estritamente proibidos dentro dos limites do bairro. Mesmo assim você quer comprar um carro? Para estacioná-lo você deve pagar €20.000 para comprar uma vaga de estacionamento fora dos limites do bairro.
Com regras tão rígidas não é a toa que 70% das famílias de Vauban não possuem carro, e 57% venderam seus veículos para se mudarem para este bairro. Os residentes se movimentam basicamente a pé e de bicicleta e para chegarem a locais mais distantes eles usam bondes elétricos que atravessam o bairro. Esta parece ser a tentativa mais bem sucedida que eu me recordo com essas proporções, parabéns para os alemães. E as nossas experiências?

Vejam as fotos e o vídeo logo abaixo:

Use ecobags, use Pense ECO!

Siga-nos no Twitter

Fonte: Rodrigo Barba – Rede Ecoblogs

O bairro Vauban de pouco mais de 5.500 habitantes da cidade de Freiburg localizada no sul da Alemanha, está se transformando em um bairro praticamente sem carros.
%d blogueiros gostam disto: